Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MÁRIO SILVA - Fotografia & Escrita

*** *** A realidade e a "minha realidade" em imagens e escrita

22
Set23

As casas, das aldeias rurais de Trás-os-Montes, Portugal, estão a perder as suas características arquitetónicas (5.ª parte)


Mário Silva Mário Silva

As casas, das aldeias rurais de Trás-os-Montes, Portugal, estão a perder as suas características arquitetónicas

(5.ª parte)

10 DSC00797 (2)_ms

 

.

  1. Esforços para Restaurar e Preservar Casas Tradicionais em Trás-os-Montes

A preservação das casas tradicionais transmontanas não é uma causa perdida. Várias iniciativas e organizações dedicam-se à conservação e restauro destas joias arquitetónicas.

 

7.1 Iniciativas e organizações de conservação

Várias organizações locais e nacionais trabalham incansavelmente para aumentar a conscientização sobre a importância de preservar as casas tradicionais. Eles fornecem orientação, recursos e financiamento para indivíduos e comunidades interessados em restaurar suas propriedades. Essas organizações colaboram com proprietários, arquitetos e autoridades locais para garantir que os projetos de restauração estejam alinhados com os princípios de conservação, ao mesmo tempo em que atendem aos modernos padrões de segurança e conforto.

 

7.2 Histórias de sucesso na restauração

Apesar dos desafios, são inúmeros os casos de sucesso no restauro de casas tradicionais transmontanas. Muitos proprietários, com o apoio de organizações de conservação, transformaram com sucesso estruturas degradadas em casas bonitas e funcionais que mantêm seu charme histórico. Estas casas restauradas não só contribuem para a preservação do nosso património arquitetónico, mas também servem como exemplos de práticas de restauro sustentáveis e respeitosas.

Ao destacar estas histórias de sucesso e ao apoiar os interessados no restauro, podemos inspirar outros a embarcar em percursos semelhantes e garantir a preservação contínua das nossas casas tradicionais em Trás-os-Montes. Em conclusão, as casas tradicionais de Trás-os-Montes são um testemunho da rica história e identidade cultural da região. Embora estas casas corram o risco de perder as suas características arquitetónicas, há uma consciência crescente da necessidade de preservar e conservar este património único. Através de várias iniciativas e projetos de restauro, estão a ser tomadas medidas para garantir que estas casas continuem a contar as suas histórias para as gerações vindouras. Ao valorizar e proteger a arquitetura tradicional transmontana, não só honramos o passado como criamos um futuro sustentável que abraça o legado cultural da região.

.

Texto & Fotografia: @MárioSilva

.

 

Mário Silva 📷
20
Set23

As casas, das aldeias rurais de Trás-os-Montes, Portugal, estão a perder as suas características arquitetónicas (4.ª parte)


Mário Silva Mário Silva

As casas, das aldeias rurais de Trás-os-Montes, Portugal, estão a perder as suas características arquitetónicas

(4.ª parte)

09 DSC00290_ms

.

  1. Desafios na Manutenção da Autenticidade das Casas Rurais

Manter a autenticidade das casas rurais de Trás-os-Montes não está isento de desafios. Fatores econômicos e sociais, combinados com a modernização e a urbanização, colocam obstáculos significativos à preservação desses tesouros arquitetónicos.

6.1 Fatores económicos e sociais

Um dos principais desafios enfrentados na preservação das casas tradicionais é o ônus financeiro. A restauração e a manutenção podem ser dispendiosas, especialmente para proprietários com recursos limitados. Muitas comunidades rurais transmontanas enfrentam dificuldades económicas, o que lhes dificulta o investimento na preservação das suas casas. Além disso, mudanças na dinâmica social, como a migração para áreas urbanas, podem resultar em negligência e abandono dessas propriedades ancestrais.

 

6.2 Modernização e Urbanização

À medida que Trás-os-Montes evolui e se moderniza, aumenta a pressão para adaptar as casas tradicionais aos padrões contemporâneos. As exigências da vida moderna muitas vezes colidem com o design original e layout desses edifícios. A tentação de alterá-los ou demoli-los para dar lugar a estruturas mais modernas pode ser forte. A urbanização também representa uma ameaça, à medida que as áreas rurais se tornam mais desenvolvidas, e as casas tradicionais correm o risco de serem ofuscadas ou demolidas para abrir espaço para construções mais recentes.

.

Texto & Fotografia: @MárioSilva

.

 

Mário Silva 📷
18
Set23

As casas, das aldeias rurais de Trás-os-Montes, Portugal, estão a perder as suas características arquitetónicas (3.ª parte)


Mário Silva Mário Silva

As casas, das aldeias rurais de Trás-os-Montes, Portugal, estão a perder as suas características arquitetónicas

(3.ª parte)

08 DSC07927_ms

.

  1. A Importância da Preservação da Arquitetura Tradicional em Trás-os-Montes

A arquitetura tradicional transmontana tem uma enorme importância cultural e histórica. Estes edifícios não são apenas estruturas feitas de pedra; são testemunhos vivos do passado. Cada casa conta uma história das pessoas que a habitaram, seu modo de vida e sua conexão com a terra. Preservar estas joias arquitetónicas é crucial para manter vivo o nosso património.

 

5.1 Importância cultural e histórica

As casas tradicionais transmontanas são mais do que apenas locais para viver; são símbolos do nosso património cultural. Eles mostram o artesanato e técnicas arquitetônicas de nossos antepassados, mostrando as habilidades e engenhosidade de gerações passadas. Sem a sua preservação, arriscamo-nos a perder uma parte da nossa história regional e as histórias únicas incrustadas dentro destes muros.

Estas casas também representam diferentes períodos históricos, cada uma com seu próprio estilo arquitetónico e design. Refletem a evolução de Trás-os-Montes ao longo dos tempos, desde as modestas casas de granito que pontilham a paisagem até às grandes casas senhoriais que recordam uma época passada. Ao preservar estes edifícios, asseguramos que as gerações futuras possam apreciar e aprender com o nosso rico património arquitetónico.

 

5.2 Reflexão da identidade local

As nossas casas tradicionais são mais do que apenas estruturas; são parte integrante da nossa identidade local. A arquitetura de Trás-os-Montes é distinta e imediatamente reconhecível, com as suas características paredes de granito, persianas de madeira e telhados de azulejos. Estes edifícios incorporam a essência das nossas comunidades rurais, representando as suas tradições, valores e modo de vida.

Preservar essas características arquitetónicas ajuda a manter nosso senso de lugar e orgulho. Eles servem como um lembrete visual de nossas raízes e oferecem uma conexão com nossos antepassados. Ao proteger e promover a arquitetura tradicional, celebramos a nossa identidade local e garantimos a sua continuação para as gerações futuras abraçarem e estimarem.

.

Texto & Fotografia: @MárioSilva

.

Mário Silva 📷
16
Set23

As casas, das aldeias rurais de Trás-os-Montes, Portugal, estão a perder as suas características arquitetónicas (2.ª parte)


Mário Silva Mário Silva

As casas, das aldeias rurais de Trás-os-Montes, Portugal, estão a perder as suas características arquitetónicas

(2.ª parte)

09 DSC00290_ms

  1. A paisagem em mudança: perda de características arquitetónicas

Infelizmente, as características arquitetónicas que outrora definiam as casas tradicionais transmontanas estão a desaparecer lentamente.

À medida que a modernização se instala e novos métodos de construção se tornam predominantes, o encanto único destas habitações rurais está a desaparecer.

 

4.1 Fatores que contribuem para a perda de características arquitetónicas

Vários fatores contribuem para a perda de características arquitetónicas em Trás-os-Montes.

As pressões económicas, o declínio populacional e o desejo de confortos modernos levaram ao abandono das casas tradicionais.

Além disso, a falta de regulamentação e conscientização sobre a preservação arquitetónica acelerou ainda mais esse declínio.

 

4.2 Exemplos de Desaparecimento de Elementos Arquitetónicos

Elementos como cantaria intrincada, varandas tradicionais de madeira e entalhes ornamentados estão a desaparecer da paisagem transmontana.

À medida que essas características são substituídas por desenhos mais padronizados e modernos, a região perde uma parte de sua identidade cultural. É essencial apreciar e preservar o que resta destas joias arquitetónicas antes que se percam para sempre.

Em conclusão, Trás-os-Montes é uma região que oferece um vislumbre do modo de vida tradicional português. O seu património arquitetónico, embora desapareça lentamente, conta histórias cativantes do passado. Ao compreender e valorizar as características únicas destas casas rurais, podemos garantir que o seu legado continua vivo para as gerações futuras apreciarem.

.

Texto & Fotografia: @MárioSilva

.

Mário Silva 📷
14
Set23

As casas, das aldeias rurais de Trás-os-Montes, Portugal, estão a perder as suas características arquitetónicas (1.ª parte)


Mário Silva Mário Silva

 

As casas, das aldeias rurais de Trás-os-Montes, Portugal,

estão a perder as suas características arquitetónicas

(1.ª parte)

06 DSC08787_ms

  1. Introdução a Trás-os-Montes: Uma região rural de Portugal

Trás-os-Montes, uma região pitoresca situada no nordeste de Portugal, oferece um vislumbre do rico património cultural e do encanto rural do país. Aninhada em meio de paisagens de tirar o fôlego, esta região é conhecida por sua arquitetura tradicional, que reflete uma mistura única de influências de diferentes épocas e culturas. Vamos mergulhar no fascinante mundo das casas tradicionais de Trás-os-Montes, focando-nos numa casa particular numa aldeia rural. Ao explorarmos a arquitetura, as características únicas e os desafios enfrentados por essas casas, também lançaremos luz sobre os esforços que estão sendo feitos para preservar e restaurar este inestimável património cultural. Junte-se a nós nesta viagem enquanto descobrimos a história de uma casa que encapsula a paisagem arquitetónica em evolução de Trás-os-Montes.

 

  1. Introdução a Trás-os-Montes: Uma região rural de Portugal

Trás-os-Montes, situada no canto nordeste de Portugal, é uma região rural cativante que oferece um vislumbre da cultura tradicional portuguesa. Conhecida pelas suas paisagens de cortar a respiração, aldeias encantadoras e locais calorosos, Trás-os-Montes é uma joia escondida à espera de ser descoberta.

 

  1.1 Panorama de Trás-os-Montes

Trás-os-Montes, que se traduz por "Por trás das montanhas", é apropriadamente chamado por ser caracterizado pelo seu terreno montanhoso e beleza acidentada. Esta região é frequentemente elogiada por sua natureza intocada, tornando-se um refúgio para entusiastas ao ar livre, caminhantes e amantes da natureza. Com uma história rica, Trás-os-Montes exala um sentido de autenticidade e autenticidade difícil de encontrar noutros lugares.

 

  1. Explorar a Arquitetura das Casas Tradicionais de Trás-os-Montes

Há algo verdadeiramente cativante na arquitetura das casas tradicionais de Trás-os-Montes. Estas habitações pitorescas servem como uma janela para o passado da região, exibindo uma mistura única de influências que moldaram o seu design.

 

2.1 O Rico Património Arquitetónico de Trás-os-Montes

Trás-os-Montes possui um rico património arquitetónico que reflete a história e o significado cultural da região. De influências românicas a elementos mouros, estas casas tradicionais contam histórias do passado, pintando um quadro vívido das pessoas que um dia as chamaram de lar.

 

2.2 Influências no Design de Casas Tradicionais em Trás-os-Montes

O design das casas tradicionais de Trás-os-Montes é uma mistura fascinante de influências culturais. As paredes de granito austeras, vigas de madeira robustas e telhas distintas exibem uma mistura de estilos mediterrâneos, mouros e do norte da Europa. Esta fusão única cria uma estética visualmente marcante que se destaca na paisagem rural.

 

  1. As Características Únicas de uma Casa Rural Típica de Trás-os-Montes

Entre numa típica casa rural de Trás-os-Montes e sentirá instantaneamente uma sensação de aconchego e calor. Estas casas são um testemunho da desenvoltura e engenho da população local, com cada elemento cuidadosamente escolhido para suportar os desafios da vida rural.

 

3.1 Disposição e estrutura das casas tradicionais

As casas tradicionais de Trás-os-Montes apresentam frequentemente uma disposição simples, mas eficaz. Os quartos são organizados em torno de uma sala de estar central ou cozinha, criando um espaço acolhedor para reuniões familiares. As grossas paredes de pedra proporcionam isolamento do frio rigoroso do inverno e oferecem descanso do calor escaldante do verão.

 

3.2 Materiais utilizados na construção

Os materiais utilizados na construção de casas rurais em Trás-os-Montes são uma prova da sua durabilidade. O granito, uma pedra predominante na região, é usado para as paredes, dando às casas uma aparência rústica distinta. Vigas de madeira de origem local e telhas de barro vermelho nos telhados completam o visual tradicional, misturando-se harmoniosamente com o ambiente natural.

 

3.3 Design de Interiores e Mobiliário

Dentro destas casas rústicas, encontrará uma simplicidade encantadora que abraça o estilo de vida rural. Os interiores são muitas vezes adornados com têxteis artesanais, cerâmica colorida e móveis de madeira, criando uma atmosfera acolhedora que convida ao relaxamento. Estes toques atenciosos, transmitidos através de gerações, acrescentam um toque pessoal a cada casa.

.

Texto & Fotografia: @MárioSilva

.

Mário Silva 📷
10
Set23

Uma visita ao Castelo de Monforte do Rio Livre


Mário Silva Mário Silva

Uma visita ao

Castelo de Monforte do Rio Livre

05 Castelo Monforte de Rio Livre - Pintura

.

Estás pronto para uma aventura?

Uma viagem ao Castelo de Monforte de Rio Livre irá deliciar o seu explorador interior! Aninhado nas colinas acima da aldeia de Águas Frias, este castelo medieval oferece um vislumbre do passado histórico de Portugal.

Quando chegar, ganhe coragem e atravesse a “hipotética ponte levadiça” sobre o fosso do castelo. No interior das grossas muralhas de pedra, encontrará um pátio e uma torre de menagem que se mantêm de pé há mais de 800 anos. Suba as escadas sinuosas (“subidório”) da torre para ter uma vista panorâmica do campo. A posição estratégica do castelo permitia aos defensores avistar os inimigos a quilómetros de distância.

Ao percorrer as muralhas, imagine os arqueiros a vigiar os invasores. Bolas de canhão e fendas para flechas mostram como o castelo estava armado para a batalha. Apesar de pequeno, o Castelo de Monforte resistiu a muitos ataques ao longo dos séculos. A sua força duradoura é um testemunho do génio militar dos seus construtores.

O interior esparso do castelo reflete a austeridade da vida medieval, embora “subsistam” belos pormenores como uma “hipotética chaminé ornamentada” e janelas “góticas”. As habitações esparsas albergavam soldados e criados, enquanto a torre de menagem proporcionava aposentos “nada luxuosos” para o senhor e a senhora.

Depois de explorar as alturas, desça até à aldeia de Águas Frias. Desfrute de uma refeição de legumes frescos, variados enchidos e pão caseiro numa, já não existente, “taberna rústica”.

A comida deliciosa e o ambiente acolhedor realçam a cultura vibrante que se desenvolveu à sombra da fortaleza.

Uma viagem ao Castelo de Monforte transporta-o para uma época crucial da história de Portugal. Apesar dos séculos passados, o castelo continua a ser uma visão imponente e uma fonte de orgulho para a comunidade local. Descubra as histórias escondidas nas suas pedras e aprecie de novo a beleza e a história do interior de Portugal.

A aventura espera-o no Castelo de Monforte!

.

Texto & Fotopintura: ©MárioSilva

.

Mário Silva 📷
07
Set23

Uma paisagem de centeio cortado e rolos de palha num planalto transmontano - Portugal


Mário Silva Mário Silva

Uma paisagem de centeio cortado e rolos de palha

num planalto transmontano - Portugal

03 DSC05760-fotoPintura_ms

.

É uma cena rural encantadora de Portugal, mais especificamente numa região conhecida como planalto transmontano. Esta é uma área caracterizada pelas suas paisagens naturais deslumbrantes, onde o centeio é cultivado e a agricultura desempenha um papel importante na vida das comunidades locais.

Na fotopintura apresentada, podemos imaginar um vasto campo de centeio que foi colhido recentemente. As hastes douradas e maduras do centeio foram cortadas e agrupadas em feixes, formando rolos de palha.

Esses rolos de palha são cuidadosamente empilhados em grupos ou alinhados em fileiras ordenadas pelo campo. A palha tem uma cor amarelo-dourado, contrastando com o céu azul e possivelmente algumas nuvens brancas que pontuam o horizonte.

A paisagem do planalto transmontano é tipicamente caracterizada por colinas e montanhas suaves, criando um cenário ondulado que se estende até onde os olhos podem ver.

Os campos cultivados estendem-se até onde a vista alcança, com um mosaico de diferentes tons de verde e dourado, dependendo da vegetação e da estação do ano.

As casas rurais de pedra e os edifícios tradicionais podem ser avistados esporadicamente na paisagem, adicionando um toque de autenticidade a essa cena idílica. O ambiente tranquilo e sereno do planalto transmontano oferece uma sensação de isolamento e conexão com a natureza, onde o tempo parece desacelerar.

O som suave do vento soprando pelas colinas e a fragrância da terra e da vegetação acrescentam uma dimensão sensorial a essa paisagem pitoresca.

É uma cena que evoca uma sensação de calma e admiração pela beleza da vida rural em Portugal.

.

Texto & Fotopintura: ©MárioSilva

.

Mário Silva 📷
04
Set23

A importância dos fetos “Pteridium aquilinum”, na Natureza


Mário Silva Mário Silva

A importância dos fetos “Pteridium aquilinum”,

na Natureza

02 DSC04742_ms

.

Pteridium aquilinum”, comumente conhecida como fetos, é uma espécie com significativa importância ecológica na natureza.

“Pteridium aquilinum” desempenha um papel vital na manutenção do equilíbrio e estabilidade do ecossistema. Em primeiro lugar, contribui para a biodiversidade, fornecendo habitat e fontes de alimento para vários organismos. O crescimento denso de fetos cria condições adequadas para diversas flora e fauna, incluindo insetos, pássaros e mamíferos. Além disso, esta espécie serve como fonte alimentar essencial para herbívoros, como veados e coelhos.

Além disso, “Pteridium aquilinum” influencia a dinâmica do ecossistema por meio de suas interações com outras espécies. Por exemplo, estudos mostraram que o feto pode alterar as propriedades do solo ao liberar compostos alelopáticos que inibem o crescimento de plantas concorrentes. Essa influência afeta a composição da comunidade vegetal e os processos de ciclagem de nutrientes nos ecossistemas.

Apesar de sua importância ecológica, “Pteridium aquilinum” enfrenta várias ameaças de atividades humanas. A perda de habitat devido ao desmatamento e conversão de terras é uma das principais ameaças a esta espécie. Espécies invasoras também representam um risco ao competir com os fetos por recursos ou alterar seus habitats. Além disso, alterações induzidas por mudanças climáticas nos padrões de temperatura ou precipitação podem afetar a área de distribuição dessa espécie.

Para enfrentar esses desafios enfrentados pelo “Pteridium aquilinum”, esforços de conservação foram realizados. Isso inclui iniciativas de restauração de habitats, programas de manejo de espécies invasoras e monitoramento dos impactos das mudanças climáticas. Além disso, a conscientização sobre a importância dessa espécie é fundamental para sua conservação. O envolvimento público e a educação podem promover práticas sustentáveis, como o uso responsável da terra e a prevenção da propagação dos fetos em novas áreas.

Em conclusão, “Pteridium aquilinum” desempenha um papel vital na manutenção da biodiversidade e na dinâmica do ecossistema. No entanto, as atividades humanas representam ameaças significativas à sua sobrevivência. Portanto, pesquisas contínuas, esforços de conservação e engajamento público são essenciais para garantir a sobrevivência a longo prazo dessa espécie. Ao valorizar e proteger a importância do “Pteridium aquilinum” na natureza, podemos contribuir para a preservação dos nossos ecossistemas naturais.

.

Texto & Fotografia: ©MárioSilva

.

Mário Silva 📷
28
Set22

ALMINHAS NO ENTRONCAMENTO DO CAMINHO


Mário Silva Mário Silva

.

ALMINHAS NO ENTRONCAMENTO DO CAMINHO

25 DSC09238 _Pintura_ms_marca d'água

.

Definidas de um modo simples, como são nichos onde se colocam alminhas pinturas ou figuras esculpidas representando as almas no Purgatório e algum santo, a Virgem ou Cristo.  Outros elementos necessários são cruzes, que tanto podem estar no topo do monumento como esculpir na sua superfície (geralmente em alto relevo), ou fazendo apelo à oração dos passantes. Nalguns casos, pode aparecer o nome de uma pessoa falecida nenhum local assinalado. Por vezes, surge ainda uma data, geralmente da ocorrência que justificou a sua colocação. Sendo muito grande a variedade, não se pode definir um formato comum a todas elas.

Assim, podemos encontrar a sua parte inferior em forma de coluna (seção cilíndrica ou retangular) ou mesmo esta não existir, estar o nicho inserido num muro ou parede. Dentro do nicho, um Podia ser pintada diretamente na pedra (o que faz com que, nestas situações, seja muito raro encontrar mais do que o nicho vazio, pelos dados das tintas, fruto da ação dos elementos ou dos homens); outros casos, foi usado uma base em madeira para sobre ela executara pintura, com os mesmos resultados já em geral; uma terceira possibilidade (por vezes resultante de um acrescento relativamente moderno) é a utilização do azulejo para a execução da representação desejada. Em alguns casos, foi feito sobre uma base metálica, que depois se fixou no nicho.

Flávio Gonçalves (Gonçalves, 1959) foi o primeiro autor a apresentar uma visão credível e fundamentada sobre este tema. Nesse seu trabalho, apresenta alguns dos aspetos essenciais desta manifestação de religiosidade popular:

- aparecem em lugares bem definidos:  nas bermas das estradas ou caminhos, à entrada de pontes e encruzilhadas como;

- no painel, estão identificados os chamados a arder do Purgatório;

- na parte superiores, estão como figuras celestes Protetoras;

- abaixo do nicho, encontra-se o peto (caixa das esmolas), muitas vezes já sem uso, fruto de sucessivos roubos o u destruições;

- os condenados encontram-se despidos, de braços erguidos;

- por, estão presentes anjos, que ajudarão as vezes as almas libertas do Purgatório;

- na parte superior, podemos encontrar Cristo Crucificado, uma Virgem do Carmo, Santo António, etc.;

- a diversidade dos condenados fica bem patente no cumprimento de cabelos (homens e mulheres) ou adornos como coroas ou mitras;

- por último, o apelo à oração pelas almas dos condenados ao Purgatório pode assumir muitas formas, que vão desde os PNAM iniciais [Pai Nosso, Avé Maria] até textos mais elaborados, inclusivamente em quadras.

.

_____   In: Revista Anual do Museu do Sabugal   _____

.

.

FotoPintura:  ©MárioSilva

.

Mário Silva 📷
22
Set22

PIPO (pequena pipa; barril)


Mário Silva Mário Silva

.
PIPO (pequena pipa; barril)
.

21 DSC09428_Pintura_ms_marca d'água

.
A paixão é barril de vinho.
Pode parecer eterno se consumido
ao poucos de forma controlada,
trazendo assim momentos de alegria.
Mas se for consumido
a todo instante, de forma desenfreada,
trará momentos de descontrole,
além disso,
logo o barril estará vazio.
.
.
FotoPintura: ©MárioSilva
.
Mário Silva 📷
11
Set22

A   LUA   DIURNA


Mário Silva Mário Silva

.

A   LUA   DIURNA

03 DSC00098_ms_marca d'água

.

É uma saudade noturna

Que recaiu manhã adentro

.

É uma vontade de sem fim

Pelo encontro estendido

Sob o céu negro e protetor

.

É uma beleza fora de lugar

Cheia ou crescente, de verdade e desjeito

Como o sorriso de um cego

.

A lua diurna

é o emblema definitivo

da paz espirituosa dos filhos do amor

.

_____   Aldo Votto   _____

.

.

Fotografia: ©MárioSilva

.

Mário Silva 📷
11
Out21

Vindimas - Águas Frias (Chaves) - PORTUGAL


Mário Silva Mário Silva

🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇

Sem dúvida, podemos afirmar que a vindima é uma atividade tradicional.

No segundo milénio A.C., os egípcios representavam nas suas inscrições a vindima e a pisada das uvas. Esses foram os primeiros documentos escritos relacionados à colheita da uva. No entanto, o primeiro vinho data de 8.000 anos, tornando esta prática ainda mais antiga.

Como curiosidade, certamente o surpreenderá saber que as técnicas que aplicamos hoje não diferem tanto daquelas da época.

🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇🍇

Blog 11 DSC05860_ms

VINDIMA
.
“Mosto, descantes e um rumor de passos
Na terra recalcada dos vinhedos.
Um fermentar de forças e cansaços
Em altas confidências e segredos.
.
Laivos de sangue nos poentes baços.
Doçura quente em corações azedos.
E, sobretudo, pés, olhos e braços
Alegres como peças de brinquedos.
.
Fim de parto ou de vida, ninguém sabe
A medida precisa que lhe cabe
No tempo, na alegria e na tristeza.
.
Rasgam-se os véus do sonho e da desgraça.
Ergue-se em cheio a taça
À própria confusão da natureza.”


______________________Miguel Torga, In O outro livro de Job___________

.

.

Ver também:

https://www.facebook.com/mariofernando.silva.9803/

http://aguasfrias.blogs.sapo.pt

https://www.youtube.com/channel/UCH8jIgb8fOf9NRcqsTc3sBA...

https://twitter.com/MrioFernandoGo2

https://www.instagram.com/mario_silva_1957/

.

Mário Silva 📷
03
Out21

Retrospetiva - Setembro 2021 - Águas Frias - Chaves - Portugal


Mário Silva Mário Silva

SETEMBRO 2021
Retrospetiva dos momentos, paisagens, lugares, pormenores e outros, captados no mês de agosto na aldeia transmontana de
Águas Frias - Chaves - Portugal
 
Mário Silva 📷
30
Set21

O lugar da Lampaça na aldeia de Águas Frias – Chaves – Portugal


Mário Silva Mário Silva

*********************************************************************************

O lugar da Lampaça na aldeia de

Águas FriasChavesPortugal,

os pequenos bosques, os terrenos de cultivo, as vinhas e

ao fundo a aldeia raiana de Mairos.

*********************************************************************************

Blog 30 DSC09553_ms

.

"Sou minha própria paisagem;

Assisto à minha passagem, diverso, móbil e só, não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo como páginas, meu ser.

O que segue não prevendo, o que passou a esquecer.

Noto à margem do que li o que julguei que senti.
Releio e digo: "Fui eu?"
Deus sabe, porque o escreveu."

__________________Fernando Pessoa________________

.

.

Ver também:

https://www.facebook.com/mariofernando.silva.9803/

http://aguasfrias.blogs.sapo.pt

https://www.youtube.com/channel/UCH8jIgb8fOf9NRcqsTc3sBA...

https://twitter.com/MrioFernandoGo2

https://www.instagram.com/mario_silva_1957/

 

Mário Silva 📷
27
Set21

Simplesmente bela, casa rústica na aldeia transmontana de Águas Frias – Chaves - Portugal


Mário Silva Mário Silva

________🏠___________

Uma, simplesmente bela, casa rústica na aldeia transmontana de

Águas FriasChaves - Portugal

________🏠___________

.

"A casa deve ser o estojo da vida, a máquina da felicidade."
Le Corbusier

"Não existe casa tão má que não possa ser transformada em algo que valha a pena."
Elsie de Wolfe

“O propósito de uma casa é proporcionar uma vida agradável e confortável, seria um erro sobrevalorizar em excesso um resultado exclusivamente decorativo.” 
Lina Bo Bardi

"As melhores casas são aquelas que têm algo a dizer sobre as pessoas que vivem nelas." 

David Hicks

Blog 26 DSC07830_ms

"Escolhe o teu canto, mas escolhe com cuidado, intensidade e com o melhor da tua capacidade e assim poderás mudar o mundo."
Charles Eames

"Uma casa é muito mais do que um mero refúgio: deve ser um lugar que nos eleva emocional e espiritualmente."
John Saladinho

"A tua casa deveria contar a história de quem és, ser uma coleção das coisas que amas."
Nate Berkus

“A extensão da arte das casas é a arte de viver, conviver em harmonia com os impulsos mais profundos do homem e com seu ambiente adotado ou pré-fabricado”.
Charlotte Perriand

"Um designer sabe que alcançou a perfeição não quando não há nada a acrescentar, mas quando não há mais nada a retirar."
Antoine de Saint-Exupéry

.

.

Ver também:

https://www.facebook.com/mariofernando.silva.9803/

http://aguasfrias.blogs.sapo.pt

https://www.youtube.com/channel/UCH8jIgb8fOf9NRcqsTc3sBA...

https://twitter.com/MrioFernandoGo2

https://www.instagram.com/mario_silva_1957/

.

Mário Silva 📷
22
Set21

As couves-galegas (“Brassica oleracea var. Acephala”), … as casas, … a encosta do Brunheiro … e o castelo de Monforte de Rio Livre - Águas Frias – Chaves – Portugal


Mário Silva Mário Silva

***

As couves-galegas (“Brassica oleracea var. Acephala”), …

as casas, …

a encosta do Brunheiro …

e o castelo de Monforte de Rio Livre,

na formosa aldeia transmontana de

Águas FriasChavesPortugal

Blog 22 DSC07817_ms

.

Rúbrica preto

 

.

Ver também:

https://www.facebook.com/mariofernando.silva.9803/

http://aguasfrias.blogs.sapo.pt

 

https://www.youtube.com/channel/UCH8jIgb8fOf9NRcqsTc3sBA...

https://twitter.com/MrioFernandoGo2

https://www.instagram.com/mario_silva_1957/

 

Mário Silva 📷
18
Set21

Uma bonita casa, restaurada, respeitando a sua traça original - Águas Frias - Chaves - Portugal


Mário Silva Mário Silva

   🏤     🏘

Uma bonita casa, restaurada, respeitando a sua traça original e especialmente respeitando a cultura da sua Terra e os antepassados que lá viveram.

Um bom exemplo que contrasta com muitas reconstruções (não restauros), que deita abaixo todo um passado para poderem realçar a sua ostentação e “poder” económico, mas descaraterizando a Terra que os viu nascer, crescer …as suas origens …

Blog 18 DSC09288_ms

.

Assim vai o Mundo

… apagando as suas referências em prol de um presente, igual a todos, em que a única referência é mostrar aos outros a sua “diferença” pela diferença e não pela sua identidade.

Logo Mário Silva 1

 

 

   🏤     🏘

.

.

Ver também:

https://www.facebook.com/mariofernando.silva.9803/

http://aguasfrias.blogs.sapo.pt

https://www.youtube.com/channel/UCH8jIgb8fOf9NRcqsTc3sBA...

https://twitter.com/MrioFernandoGo2

https://www.instagram.com/mario_silva_1957/

 

 

Mário Silva 📷
14
Set21

A porta n.º 18 - Águas Frias – Chaves – Portugal


Mário Silva Mário Silva

🚪          🚪          🚪

Uma porta de madeira e grades protetoras em ferro na Aldeia de

Águas Frias – Chaves – Portugal e com o número bem definido: 18

Fixou intrigado com a sua localização exata? Eu vou dar uma pista: fica no núcleo da aldeia e para tirar dúvidas, percorra as ruas da aldeia e certamente a encontrará. Boa visita …

🚪          🚪          🚪

Blog 14 DSC09272_ms

.

.

18 (XVIII, na numeração romana) foi um ano comum do século I, do Calendário Juliano, da Era de Cristo, teve início a um sábado e terminou também a um sábado.

.

Eventos

  • Tibério Cláudio César Augusto, pela terceira vez, e Germânico César, pela segunda vez, cônsules romanos.
  • Germânico viaja para o leste do império. Ele passa por Lesbos, onde se encontra com sua esposa Agripina Maior, que havia acabado de dar à luz Júlia Lívila. Em seguida, ele visita a Ásia, e, em Colofonte, ouve um oráculo de Apolo que previa sua morte iminente.
  • Cneu Pisão alcança Germânico em Rodes, e depois volta para Síria. Ele corrompe as legiões, e passa a falar mal de Germânico e Agripina, dizendo que fazia isto com o consentimento do imperador Tibério.
  • Germânico, mesmo sabendo destes problemas, teve que ir à Arménia. Os arménios haviam expulsado Vonones, e estavam sem rei. Germânico coroa Zenão, filho de Polemão, rei do Ponto, como rei da Armênia. Zenão era querido pelo povo, pois desde criança ele imitava os costumes e hábitos dos armênios. Após a coroação, Zenão adotou o nome Artaxias, por causa da Artaxata, cidade onde foi coroado.
  • A Capadócia é organizada como uma província romana. Seu primeiro governador é Quinto Verânio. Para mostrar a boa vontade dos romanos, os tributos são reduzidos.
  • Q. Servaeus é indicado para governar Comagena. Esta província era governada por um pretor.
  • Germânico, ainda insatisfeito com Pisão, o encontra em Cirro, cidade da Síria, onde tem uma discussão acalorada, mas Pisão se mostra submisso. Eles se separam ainda com rancor mútuo.
  • Artabano, rei dos partas, envia embaixadores a Germânico para renovar a aliança com Roma. Artabano gostaria de se encontrar com Germânico no Eufrates, mas se mostrou insatisfeito com a presença de Vonones na Síria, temendo que ele causasse uma rebelião entre os nobres da Pártia. Germânico respondeu favoravelmente à aliança, e moveu Vonones para Pompeipólis, uma cidade da Cilícia, mas isto não foi feito para agradar Artabano, mas para irritar Pisão, pois Vonones havia dado vários presentes a Plancina, esposa de Pisão.

In: https://pt.wikipedia.org/wiki/18

.

Ver também:

https://www.facebook.com/mariofernando.silva.9803/

http://aguasfrias.blogs.sapo.pt

https://www.youtube.com/channel/UCH8jIgb8fOf9NRcqsTc3sBA...

https://twitter.com/MrioFernandoGo2

https://www.instagram.com/mario_silva_1957/

 

 

 

Mário Silva 📷
06
Set21

Não é só mais uma casa na aldeia … É a casa … É a casa onde fui e me senti muito feliz …


Mário Silva Mário Silva

◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈

Não é só mais uma casa na aldeia …

É a casa …

É a casa onde fui e me senti muito feliz …

◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈◈

Blog 06 DSC00803_ms

 

 

“Eu amo tudo o que foi
Tudo o que já não é
A dor que já me não dói
A antiga e errônea fé
O ontem que a dor deixou,
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia.”

                                                                                   Fernando Pessoa

.

.

Ver também:

https://www.facebook.com/mariofernando.silva.9803/

http://aguasfrias.blogs.sapo.pt

https://www.youtube.com/channel/UCH8jIgb8fOf9NRcqsTc3sBA...

https://twitter.com/MrioFernandoGo2

https://www.instagram.com/mario_silva_1957/

Mário Silva 📷

Mais sobre mim

foto do autor

LUMBUDUS

blog-logo

Hora em PORTUGAL

Calendário

Setembro 2023

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

O Tempo em Águas Frias

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.