Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MÁRIO SILVA "navegando" em ... águas frias

"Navegando" no Reino Maravilhoso por Terras de Monforte, especialmente na Aldeia de Águas Frias - Chaves - Trás-Os-Montes - PORTUGAL

MÁRIO SILVA "navegando" em ... águas frias

"Navegando" no Reino Maravilhoso por Terras de Monforte, especialmente na Aldeia de Águas Frias - Chaves - Trás-Os-Montes - PORTUGAL

26
Out07

Águas Frias (Chaves) - Outono


Mário Silva Mário Silva

 
O Outono já chegou à mais de um mês e com a sua chegada, os dias vão “mingando” (e não se esqueçam que no próximo domingo, dia 28, às 2horas da madrugada os ponteiros do relógio atrasam para a 1hora); a temperatura vai descendo, em especial à noite (já sabendo bem uma lareirinha acesa); e o grau de humidade vai subindo, fazendo aparecer o nevoeiro (como documenta a foto, envolvendo o cume da serra do Brunheiro, fazendo desaparecer o ex-libris de Águas Frias – o seu Castelo de Monforte do Rio Livre).
 É o tempo da fruta madura …
… e como ela abunda nesta Aldeia …
Este ano, as árvores, mesmo sem tratamento (ou quase nenhum), encheram-se de frutos, fazendo “vergar” os seus ramos, sendo em muitos casos, necessário “estacá-los” para suportar o peso.
Havendo muita fruta, … poucas pessoas para se deliciarem com ela (cada vez há menos gente na Aldeia), … e poucos animais a quem dar o excedente, ela … a fruta …, cai de madura e … jaz no chão, … polvilhando a terra ao redor da árvore que lhe deu origem.
 
É uma pena, mas …
(Enquanto escrevo, e longe desta vista, lá vou eu dando uma “trinca” numa maçã que trouxe da última visita a Águas Frias. Huuuuuuuum, … que aroma, … que sabor, … que diferença daquelas que se compram no supermercado).
Bom, já chega de fazer crescer “água na boca”.
 ***********
Voltemos, ao Outono …
… e nada melhor que possa descrever esta estação do ano em Águas Frias, do que um poema que recebi de uma flaviense, filha de um aquafrigidense, que tem por nome Cláudia dos Anjos Lopes e que passo a transcrever:
 
Outono em Águas Frias
Ouve-se o sino da igreja da aldeia
Anuncia as horas com suas badaladas
Os habitantes vão preparando a ceia
E observando no céu nuvens avermelhadas
 
São sete horas da tarde em Águas Frias
A penumbra envolve o disperso casario
Já não há Sol e começa a ficar mais frio
Aproxima-se o Inverno e diminuem os dias
 
Avista-se o castelo de Monforte, imponente
O local dos agradáveis almoços estivais
Vinham os amigos, para um dia diferente
Dali distinguiam as suas aldeias natais
 
Mas o Outono é tempo de procurar na ribeira
As deliciosas rocas e os tortulhos selvagens
Passa-se bem o tempo e apreciam-se as paisagens
Ao voltar, assam-se os petiscos numa grelha na lareira
Cláudia dos Anjos Lopes
**********
Nota: Podem ter acesso a outros poemas da mesma autora (um dos quais dedicado à cidade de Chaves), em http://c-a-l.blogspot.com ou através do link aqui ao lado.
Mário Silva 📷

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

LUMBUDUS

blog-logo

Hora em PORTUGAL

Calendário

Outubro 2007

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

O Tempo em Águas Frias

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.