Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ÁGUAS FRIAS - Chaves - Portugal

Pequena e bela aldeia do Concelho de Chaves

ÁGUAS FRIAS - Chaves - Portugal

Pequena e bela aldeia do Concelho de Chaves

Pequenas Gotas de Águas Frias

20
Abr13

Águas Frias (Chaves) - Top 10 dos 6 anos deste blog

Mário Silva ÁguasFrias

 

 

TOP 10 - ÁGUAS FRIAS

 

 

Este blog sobre a pequena mas bela aldeia flaviense, Águas Frias, teve o seu início a 25 de Março de 2007.

 

Começou de forma tímida e como único objetivo, o de partilhar as fotos que possuia sobre esta Aldeia que tinha adotado em 1981, por casamento com uma aquafrigidense.

 

O objetivo continua até hoje ... a partilha pelo gosto da fotografia ... desta terra ... desta Gente ... e dos seus costumes ...

 

 

Hoje fui ao baú das fotos que foram publicadas e escolhi as 10, que tiveram mais visualizações no Flickr (onde poderão ser observadas 1.605 fotos aqui publicadas ao longo destes 6 anos).

 

 

O blog, embora com publicações intermitentes e por vezes bastante espaçadas, foi, mesmo assim crescendo, tendo nestes 6 anos sido visitado, até hoje, por 112.860 vezes, repartidas por  pessoas de 93 países (alguns com visitas residuais, possivelmente sem que o visitante o quisesse ver diretamente, mas mesmo assim, é importante, pois até desta maneira se pode dar a conhecer Águas Frias).

 

Deixemos as estatísticas para os especialistas (e hoje é o mais há ...) e vamos mostar as TOP 10 das fotos mais vistas pela blogosfera.

 

 

 

 #1 - "Águas Frias (Chaves) - Poda/enxertia de árvores de fruto" (2.572 Visualizações)

 

 

Águas Frias (Chaves) - Lavrar com arado
                                  #2 - "Águas Frias (Chaves) - Lavrar com arado                           

 

 

Águas Frias (Chaves) - O Pastor e o Rebanho 
                                       #3 - "Águas Frias (Chaves) - O Pastor e o rebanho"                          

 

Águas Frias  e Castelo de Monforte do rio Livre
                                 #4 - Águas Frias e o Castelo de Monforte do Rio Livre                     

 

Águas Frias - Folares
                                           #5 - Águas Frias - Folares                                                  

 

 

Águas Frias - Flor campestre
                                      #6 - Águas Frias (Chaves) - Flor campestre                

 

 

Castelo de Monforte do Rio Livre - Águas Frias (Chaves)
           #7 - Castelo de Monforte do Rio Livre (- Águas Frias (Chaves)           

 

 

Águas Frias Neve
                                                       #8 - Águas Frias - Neve                                                     

 

Águas Frias (Chaves) - Primavera
                                                           #9 - Águas Frias - Primavera                                                          

 

Águas Frias (Chaves) - Paisagem de Inverno
                #10 - Águas Frias (Chaves) - Paisagem de Inverno                

 

 

Aqui ficaram alguns registos de épocas diferentes e temas diferentes, mas que têm em comum algo que retata Águas Frias.

Devo referir que não serão as fotos que eu considero as mais bem conseguidas, mas sim aquelas que foram tiveram como único critério, aquelas que foram mais vistas (in: http://www.flickr.com/photos/7791788@N04/ ).

 

Espero sejam motivo para relembrar esta tão bela Aldeia transmontana - ÁGUAS FRIAS.

 

 

 

 

{#emotions_dlg.ok}

 

 

 

 

 

 

 

15
Abr13

Águas Frias (Chaves) - ... em abril águas mil ...

Mário Silva ÁguasFrias

 

 

Como diz o dito popular " ... em abril, águas mil ... "

 

 

 
... o Sol, o verde e a Água ...

 

E assim tem sido até agora ... durante todo o inverno e nem com a entrada da primavera deixou que o céu deixasse de transpirar, de que maneira ...

 

 

 
... a água corre em abundância pelos regueiros ...

 

Este ano não nos podemos queixar de falta de água, penso até que ela foi excessiva ... deixando as fontes brotarem com força este precioso líquido e deixando os lameiros (como a palavra deixa transparecer) encharcados, o que tem cancelado as sementeiras.

 

... o marco, o raio de sol e terrenos encharcados ...

 

 

 

Mas mais vale tarde e com água do que cedo e sem ela (penso eu - pouco ou nada conhecedor das fainas e ritmos agrícolas).

 

 

 

 

... a cancela e o prado ...

 

 

Mas, parece que a agora, já o sol nos vai brindando com a sua luz e calor e que as caraterísticas da Primavera parecem tornar-se uma realidade.

 

Parece que já todos estavamos ansiosos por uns diazitos de sol, deixando o ar taciturno por um outro mais alegre, dando-nos ánimo para seguir com a Vida de forma mais confiante.

 

Até os animais parecem agradecer este tempo ... olhando à sua volta ... e vendo o verde da erva, o azul da água e a luz do astro rei brilhando ... que felicidade ... já não tem que ficar encarcerado na côrte ...

 

... a vitela negra e os seus "brincos" laranja disfrutando a erva fresca ...

 

 

 {#emotions_dlg.orangeflower}

 

{#emotions_dlg.rainbow}

 

{#emotions_dlg.redflower}

 

 

 

 

 

05
Abr13

àguas Frias (Chaves) - Visita Pascal e ... a Pascoela

Mário Silva ÁguasFrias

 

 

Como sempre venho um pouco atrasado, nas notícias que ocorrem em Águas Frias, pois já se aproxima a Pascoela e vou deixar alguns registos dado "compasso" do Domingo de Páscoa.  ... mas é quando me é possivel....

 

 

Este ano o Domingo de Páscoa, em Águas Frias, teve como companhia o frio e a chuva.

Mas nem por isso, se deixou de se concretizar os costumes ancestrais que se comemoram neste dia.

Foi o caso da visita pascal, que nem a eminência de chuva travaram este costume cristão. Bem hajam os corajosos que com tempo pouco convidativo e até desagradável, se puseram a caminho e foram de casa em casa, fazer a visita pascal, vulgarmente conhecido por "Compasso".

 

 

 

"O Compasso Pascal é uma tradição cristã que consiste na visita casa a casa de uma paróquia (daqueles que a queiram receber) do Crucifixo de Cristo no dia de Páscoa para celebrar a sua Ressurreição.

 

 

 

 

Um pequeno grupo de paroquianos, com ou sem o seu pároco, liderados por um crucifixo que representa a presença de Jesus vivo, percorre várias casas de outros paroquianos que manifestem a sua vontade de receber a visita de Jesus Ressuscitado no dia de Páscoa. Em cada uma das casas, após uma bênção inicial, os habitantes da casa visitada beijam a cruz de Cristo como demonstração de adoração.

 

 

 

 

 

A esta tradição associaram-se diferentes formas de receber essa visita.

Ela é vista como uma forma de confraternização dos membros da comunidade paroquial com a oferta de de alimentos da quadra ou apenas uns minutos de repouso para o grupo itinerante.

 

 

 

 

 

É também comum ser aproveitada para oferta de donativos pecuniários à paróquia (para pagamento de eventuais direitos paroquiais)."

In: https://pt.wikipedia.org/wiki/Compasso_(P%C3%A1scoa)

 

 

 


 

 

 

Como se aproxima o Domingo de Pascoela deixo aqui um excerto que recolhi no livro “Festas e Tradições Portuguesas”, Vol. III, de Soledade Martinho Costa  - Ed. Círculo de Leitores

 

PASCOELA - ORIGENS E CELEBRAÇÕES

Ocorre sete dias depois da Páscoa, correspondendo ao domingo seguinte ao domingo de Páscoa, também denominado Dia da Misericórdia de Deus, oitava da Páscoa ou Quasímodo.

Estas duas últimas designações, embora ainda se usem, eram mais utilizadas antigamente, celebrando-se a oitava noutras liturgias importantes da Igreja, prática caída em desuso quando da reforma do calendário religioso após o Concílio do Vaticano II.

 

 

 

 

 

A Pascoela simboliza o prolongamento do próprio domingo de Páscoa, numa atitude festiva da Igreja e dos fiéis, podendo dizer-se que representa uma espécie de diminutivo da palavra Páscoa.

Recorde-se que o baptismo dos primeiros Cristãos adultos ocorria durante a Vigília Pascal, ritual que continua a manter-se, sendo a quadra da Páscoa a preferida desde os primórdios da religião cristã para se efectuarem os baptismos dos catecúmenos.

Daí, chamar-se também – conquanto não já oficialmente – ao domingo de Pascoela o domingo In Albis (domingo branco), devido ao facto dos catecúmenos utilizarem (como hoje) vestimentas brancas no acto do baptismo, celebrado depois, festivamente, por toda a semana que decorria desde o domingo de Páscoa ao domingo de Pascoela.

 

Nos dias actuais, à semelhança de outrora, os baptismos continuam a realizar-se por toda a semana que medeia estes dois domingos, embora, por tempos idos, apenas nesta época do ano a Igreja procedesse à imposição do baptismo. Hoje já assim não é, mas continua a verificar-se a preferência da quadra pascal para se efectuar o baptismo, sobretudo das crianças.

Na tradição popular, é durante a celebração da missa do Senhor no domingo de Pascoela – quando esta se realiza às três horas da tarde em ponto – que, «ao pedir-se uma graça, ela será atendida».

 

 

 
 
{#emotions_dlg.braga}