Pequenas Gotas de Águas Frias


Águas Frias - making a free slideshow
Sexta-feira, 25 de Setembro de 2009

Águas Frias (Chaves) – Água fresca, água pura, importância da água para a Aldeia

 

 

 

Terminadas as festas, Águas Frias volta à sua rotina lenta, …. já que a maioria voltou aos seus países, cidades, onde escolheram serem os lugares que lhes dariam melhores condições de vida.
Foram com saudades e deixaram saudade.
Boa sorte a todos.
 
Mas voltemos à Aldeia.
A sua Vida continua…….
 
O topónimo – Águas Frias – dá a entender que seria (é e será ) um local onde as suas águas serão frias (frescas) e seriam em abundância
 
 
Assim parece que foi. Com as primeiras chuvas corria água com fartura brotando nas fontes, enchiam tanques e bebedouros para o gado (que ainda existia em abundância), alagavam os “lameiros”, corriam pelos regatos, enchiam os poços, …. Havia água (em abundância) em Águas Frias.
 
 
 
 

  

Nesses tempos ia-se buscar a água às fontes e poços e carregava-se em Jarros para casa, para lavar a louça, cozinhar, lavar o corpo, dar de beber aos animais, …. servia para quase tudo, já que a água é a fonte da Vida.
Várias vezes ao dia se fazia este vai e vem de jarro no braço ou à cabeça.

 

 
 

 

 

 

 
 
 
 
 
 
Mas com a necessidade de obter água para regar os campos (também necessária e essencial), foram proliferando as escavações, fazendo “furos” (cada vez mais fundos) para obter água para regaddio. Claro que a água que obtinham era retirada de “pequenos rios subterrâneos”, que antes faziam brotar nas nascentes, fontes e poços naturais.
Com esta estratégia teve, conjugada com as alterações climatéricas, a diminuição de caudal de água que chegava naturalmente as nascentes regatos, regueiros, fontes e nascentes.
 
 
 
Muitos secaram no Verão e outros permanentemente.
Esta é simplesmente uma contestação empírica e não baseada em qualquer dado oficial ou científico
 
 
Ao mesmo tempo a população sentia a necessidade de ter água canalizada, evitando o carregamento desta até casa, com todo o esforço e salubridade que isso acarretava.
A autarquia local (Junta de freguesia), há uns anos largos anos atrás (não sei quem foi o presidente) que conseguiu trazer desde as fraldas do Brunheiro água canalizada a grande parte das casas da Aldeia.
Foi um “pequeno passo mas grande para a população residente” de Águas Frias.
Assim se manteve esta estrutura durante anos, anos, mas ….
A modernidade trouxe novas exigências e logo um maior consumo de água doméstica, conjugado com ligações “clandestinas” que desviavam a água que deveria servir o consumo normal de cada habitação, para encher tanques e regar campos de cultivo.
Tudo estaria bem, se a água disponível fosse de tal maneira suficiente para todos esses usos (embora o planeamento fosse só para uso doméstico).
Mas não.
Enquanto uns se davam ao luxo de poder regar à vontade os seus campos de cultivo, havia habitações que das suas torneiras não pingava água.
 
Esta situação prolongou-se por anos, … anos.
Recorrendo-se a restrições fechando-se ramais em que alguns tinham uma ou duas horas (no máximo) de água durante um dia inteiro, especialmente no Verão, quando a população de Águas Frias triplica ou mais.
 
 
 
Era um autêntico martírio ... viver sem água numa Terra que se denominava ÁGUAS FRIAS.
Foram anos difíceis, havendo pessoas que tinham restaurado casa na Aldeia e que por esse motivo estavam a colocá-las à venda. A vida moderna não se coadunava com esta falta tão grave.
 
 
E o que se fez … nada, ou melhor, cortava-se ramais temporariamente, mas ou não se queria ou nada se fazia para contrariar este problema, enquanto havia quem a tivesse em abundância. Não havia equidade.
“Foram anos , foram espinhos”.
Não havia solução?
Afinal, passados esses anos de há 3 ou 4 anos atrás, esse deixou de ser um problema.
Afinal havia solução…..
Hoje Todos têm água canalizada a qualquer hora, seja Inverno ou Verão.
 
 
 
A solução teve um progenitor, que fez todos os esforços, para a sua resolução, o ainda actual presidente da Junta de Freguesia, Romeu Gomes.
Fez novas captações e reservatório para a água da Aldeia, fez novas e modernas canalizações até cada habitação, colocou contadores novos ( que permitem o controlo do gasto individualmente (impedindo os abusos).
 
 
 
 
Poderia ter dado alguns transtornos, com o “rasgar das ruas”, mas, na minha modesta opinião valeu a pena, já que garantiu o abastecimento deste bem essencial a todas as casas em condições de potabilidade (já que a Junta manda fazer análise à qualidade da água.
 
Voltaram os bons tempos nesta matéria,. As pessoas já não pretendem vender as casas que adquiriram e até ao que me parece existe um movimento contrário, com Gente a querer restaurar casas desabitadas e até em estado de ruína. Nem que seja só para passarem um bom fim-de-semana, férias ou passar os momentos da sua reforma.
 
 
 
Já que falo em água não posso deixar de referir que foram espalhadas, pela Aldeia, bocas de incêndio; equipamento essencial e facilitador para os Bombeiros, em caso de incêndio
Ao mesmo tempo que se faziam as obras de abstecimento de água potável, foram também feitas canalizações para os esgotos, acabando-se com as fossas sépticas (que inquinavam os tais “rios subterrâneos).
 
 
Foi dois em um.
Se me é permitido emitir opinião: foi um trabalho de Interesse público para a população de Águas Frias.
Continuando a falar da água de Águas Frias, ainda falta resolver o problema da água para o regadio das hortas, campos, pomares, …
 
Sei que há muitos anos atrás houve quem se interessasse por este problema e até tivesse apresentado um projecto para resolver este problema.
Águas Frias vive essencialmente da agricultura e a água é um factor essencial.
Se houve soluções para o abastecimento de água potável a todas as habitações e uma rede de esgotos a toda a aldeia, será que não haverá uma solução para a água fundamental para que continuemos a ter boa penca, boa cebola, bons pimentos, boas cabaças, cabaçotes, ervilhas, ervilhotos, feijões e feijocas….
Estou convicto que haverá uma razoável maneira de fazer chegar a fonte da vida – água – a todos os terrenos que dela precisem.
 
 
 
 
Todos teremos a ganhar já que mesmo os não agricultores (como eu) usufruem desses produtos, que além de naturais são de óptima qualidade: será das terras, seja do carinho com que as tratam ….
É uma pena se tudo isso se acabar e tivermos de adquirir esses produtos nos mini, super ou hipermercados, em que o sabor é desconsolado, vindo sabe-se lá donde e sem o carinho das Gentes Aquafrigidenses.
 
ÁGUAS FRIAS que não seja só um nome de uma Aldeia/freguesia, mas um local de referência pela abundância das suas águas frias (frescas, cristalinas e puras).
 

 

 

 
 
Sei que posso ter sido rigoroso ou até impreciso, mas é o que sinto e/ou observo ou me recontam. Não nasci aqui (eu sei), mas sinto esta Aldeia como se fosse um pouquinho “também minha”.
 
******************************************************************************************
 
Não tem nada a ver com a água, mas relembro que se aproximam datas especiais, em todos teremos direito cívico de expressar a opinião pessoal de quem nos governará ou (des)gorvenará nos próximos anos:
 
 

 

 

 
 
Vão decorrer, já próximo Domingo, dia 27 de Setembro, as Eleições Legislativas:
- onde serão escolhidos os deputados para a Assembleia da República, que terão a obrigação de discutir e aprovar as Leis que nos vão regular a Vida.
Será com base nessa Eleição que o actual Presidente da República aprovará o novo Primeiro-Ministro e o seu Governo.
Este Governo terá a responsabilidade de traçar as linhas gerais para todo o País.
A escolha é sua. Pense, analise e vote segundo a sua consciência (depois de ver o que cada um propõe e em tempos anteriores o que foi capaz de realizar pelo País).
 
**************************
 
No dia 11 de Outubro realizar-se-ão as Eleições Autárquicas:
Para escolher os elementos da Assembleia Municipal;
O Presidente da Câmara
E também, e que mais directamente diz respeito à freguesia de Águas Frias, a Assembleia de Freguesia e o Presidente da Junta de Freguesia, que terá a obrigação e o dever de zelar pelo bem da Freguesia, melhoramentos e resolução de problemas comuns a todos os seus habitantes, para um melhor bem-estar, um bom viver, dar condições para o seu desenvolvimento e não deixar cair na decadência e desertificação.
Quem quer que seja eleito, não terá uma tarefa fácil e deverá ter um perfil apropriado para cuidar do seu desenvolvimento e impedir a desertificação (pessoas e terrenos de cultivo).
Analisem as propostas apresentadas, o perfil da equipa de cada um dos candidatos, do possível futuro Presidente da Junta de Freguesia.
Seja quem quer que ganhe as Eleições Autárquicas, a nível da Freguesia, deve ser com a participação de Todos os residentes/resistentes, pois estará “em jogo” as estratégias e obra dos futuros quatro anos na Freguesia e em especial na Aldeia de Águas Frias.
 
Quando se aproximar estas últimas eleições (Autárquicas) voltarei ao assunto (se achar que é conveniente e que não me estou a imiscuir em assuntos alheios).
 ******************************
“Que a água das Eleições corra por um percurso liso e tranquilo e não por caminhos tortuosos com “quedas” e “entulho” a impedir a sua livre passagem.”
 
 .

.

sinto-me:

publicado por ÁguasFrias às 02:34
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
 O que é? |
Sábado, 19 de Setembro de 2009

4.º e último Dia das Festas em honra de S. Pedro (Noite) – Águas Frias (Chaves) – Arraial / Fogo-de-artifício / Novos Mordomos

 

 

 

“Mas ainda restava um dia de Festas…”
 
 
Embora a programa das festas só tivesse contemplado actividades para a noite com um arraial, o largo ia sendo visitado por alguns aquafrigidenses, até porque a tarde estava quente e aí havia o bar da Comissão de Festas, sempre com uma “loirinha” bem fresquinha saciado a sede e convidando a uma cavaqueira.
*****************
Águas Frias até teve o prazer de ser visitado por um amante de toda a “Alta Tamagânea” e que nutre um prazer desmesurado pelas Terras e Gentes das Terras Flavienses onde Águas Frias também faz parte. Refiro-me ao Sr. Luís mais conhecido na blogosfera flaviense por Tupamaro.
 
   
Tupamaro - qual "guerrilheiro" que luta pelas Terras da Alta Tamegânea e que "ama" as suas Gentes. A sua visita frequente a terras  da AQUALÍADA FRIDISSEIA é sinal da sua atenção por esta pequena mas bela Aldeia Flaviense.
Os seus comentários, discursos e análise e atenção ao que se passa pelas “Nossas Terras” são sempre um “ar fresco” para os blogs da sua “Terra” de paixão. A sua vinda não me poderia deixar indiferente, embora o seu e o meu pouco tempo disponível, não tivesse dado oportunidade para uma recepção mais digna e correspondente à sua paixão pela “Nossa Terra e Gentes”. Outras oportunidades haverão … obrigado “Tupamaro” pela sua visita e até breve.
 
**********************
 
 
Mas depois de um dia de trabalho, na horta, nos campos, nos seus “empregos” (raros e quase todos fora da Aldeia) ou depois de um descansado dia de férias, na sua terra natal – Águas Frias – após onze meses em locais diferentes e distantes … eis que Todos, retemperados por um suculento jantar, regado por aquele tinto retirado directamente da pipa, eis que voltam ao largo onde o conjunto “Paulo Penelas “ já tinha montado o seu palco e dava os seus primeiros acordes, como dando o sinal que ainda havia um serão animado.
 
Foram chegando …. chegando, e o largo foi-se enchendo.
Os arcos, as lâmpadas e festões coloridos ….
A noite estava agradável ….
 
O conjunto através das suas potentes colunas debitavam muitos decibéis no ar, com ritmos marcados, quase “obrigando” a que cada um “saltasse” para o meio do recinto e em rodopios sincronizados dançassem por todo o espaço. Muitos o fizeram e até houveram pares que não deixavam “uma”.
 
A animação vivia-se ….
 
Nada faltava: cor, som, o bar com bebidas sempre frescas, até as pipocas e vendedores de “sonhos “ para a gente miúda … mas o mais importante era a alegria estampada no rosto de cada um, fosse dançando, assistindo, conversando …..
 
Todos se sentiam felizes e orgulhosos, mas os mordomos ainda trouxeram mais uma surpresa e lançaram mais uma descarga de fogo-de-artifício, que a todos espantaram.
 
Nota: Antes e enquanto estiver a ver os Vídeos deve, ir ao fundo da página e carrregar no stop da música de fundo do blog (para assim poder ouvir somente o som original do vídeo). A seguir carregue no ícone deste vídeo.
Devido à quantidade de fotogramas o vídeo pode demorar um pouco a iniciar e até ocorrerem pequenas pausas a meio do mesmo. Embora a culpa não seja minha, peço desde já as minhas desculpas
 
No fim pode de novo ir ao fundo da pagina caregar em play e voltar a ouvir o som de fundo.

 

 
Mas a noite não queria acabar (embora o dia seguinte fosse dia de trabalho), e a festa continuou, com novinhos, jovens, menos jovens e até os muito experientes da Vida, que faziam “comboios”, em que cada um, em fila se apoiava no precedente, serpenteando por entre os pares e saltitando, lá iam percorrendo a “linha imaginária” do contentamento.
 
Mesmo sem o conjunto, um grupo de jovens se reuniram e ao som de violas foram cantando.
O facto de jovens (mesmo não sendo residentes/resistentes) demonstraram que o gosto pela Terra dos seus pais ou amigos é um bom prenuncio para que ainda possa haver “vida” nesta Aldeia que durante onze meses, vive/sobrevive às intempéries do tempo e da Vida.
 
 
Foram 4 dias de verdadeira Festa, na sua verdadeira concepção da palavra.
 
Depois de todo este sucesso na planificação, concepção, angariação de fundos (as mandas), do trabalho de contratação de banda, conjuntos instalação sonora, iluminação dos arcos e do local dos arraiais, do trabalho contínuo no serviço do bar, ….. não poderia acabar esta descrição sem deixar uma palavra para os “bravos(as) mordomos desta magnífica Festa. Fizeram um trabalho excelente em prol de toda a Comunidade de Águas Frias – isto eu chamo um verdadeiro “Serviço Público”.
Resumindo o que se poderia dizer sobre este grupo de heróis mordomos(as) de 2009 só posso dizer a todos: PARABÉNS
                                     HOMENS

Joaquim Silva

"Quim Russo"

João Oliveira 

 

 
 
 
 
 
 
   
 
 
 
 
 
Albino Gomes  
  Luís Gomes    
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
                                        MULHERES
Mabilda Paiva
Eduarda Chaves
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  

Catarina Barbosa
NOTA: Peço desculpa, mas das centenas de fotos, não consegui identificar a Catarina Barbosa. Assim, solicito, a quem tenha uma foto sua, ou a identifique nas fotos publicadas ,o favor de comunicar ( aguasfrias@sapo.pt ), para que toda a Comissão de Festas de 2009 possa estar completa. Bem o mereceu
 
 
Como é usual e tradicional e, para que esta tradição das Festas em honra de S. Pedro não se perca, estes mordomos nomearam os que irão ter a responsabilidade da organização das próximas Festas e que serão os seguintes:
 
MORDOMOS PARA AS FSTAS DE 2010

 

            HOMENS                                                 MULHERES

 

   Pedro Costa                            Amélia

  Rogério Oliveira                    Alda

  Silvestre Melo                        Mira Melo

  Humberto                             Andreia Queirós
 
Pelos elementos escolhidos penso que estará garantido mais um sucesso nas Festa de Águas Frias, em prol das suas Gentes residentes, dos que regressam nestes dias de férias e a Todos os que não sendo da Aldeia a vêem visitar.
 
ATÉ  ÀS  FESTAS  EM   HONRA  DE  S.PEDRO  EM
ÁGUAS   FRIAS
de  2010

 .

.

.

sinto-me:

publicado por ÁguasFrias às 19:22
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
 O que é? |
Domingo, 13 de Setembro de 2009

Arraial / Fogo de artifício / Entregue de prémios - 3.º Dia das Festas em honra de S. Pedro (noite) – Águas Frias (Chaves)

.

.
O sol escondia-se atrás das serras, e as luzes do recinto (largo da Casa do Povo/Junta de Freguesia de Águas Frias) e os arcos espalhados pela rua, acendiam-se dando um colorido e iluminação especial, antevendo uma noite animada.

 

Depois de um “Jantar de Festa”, era ver as pessoas, em pequenos grupos ou grupos completos de familiares e amigos, virem das diversas ruas, confluindo todas para o recinto da Festa.
Os mordomos tinham organizado um arraial dividido em três etapas:
- Actuação do conjunto musical “Brisas do Marão, que bisaram nesta pequena e bela Aldeia flaviense, já que cá estiveram no ano passado. Este grupo com a sua música popular e seleccionada para transmitir alegria e incentivar a um pezinho de dança
O Povo aquafrigidense e forasteiros encheram o recinto e não se fizeram rogados quanto a extravasar o seu contentamento, ora dançando, ora molhando a goela no bar da Comissão de Festas.
Foi interessante ver a heterogeneidade dos pares de dança: Todos dançavam com Todos (dos muito novos, a dar os seus primeiros passos de dança), jovens, os menos novos e os mais idosos.
 
Nota: Antes e enquanto estiver a ver os Vídeos deve, ir ao fundo da página e carrregar no stop da música de fundo do blog (para assim poder ouvir somente o som original do vídeo). A seguir carregue no ícone deste vídeo.
Devido à quantidade de fotogramas o vídeo pode demorar um pouco a iniciar e até ocorrerem pequenas pausas a meio do mesmo. Embora a culpa não seja minha, peço desde já as minhas desculpas
 
 
 
No fim pode de novo ir ao fundo da pagina caregar em play e voltar a ouvir o som de fundo.
 
 
Tenho que reconhecer que o conjunto musical conseguiu animar esta “multidão”, com música muito ritmada e conhecida de todos. Embora não seja o meu tipo de música preferido, tenho que concordar que foi a mais apropriada para este tipo de Festa. Mais uma vez as cantoras/dançarinas espantaram com o número de vezes com que mudavam de indumentária.
O rosto de cada pessoa era o espelho da boa disposição patente nesta noite. Até nos mordomos, com todo o seu trabalho, desde o bar, até a toda a organização, de denotava contentamento pois tudo estava a “correr” como planeado – as Festas estavam a ter o seu sucesso.
 
- Fogo de artifício – Os primeiros foguetes subiram no ar, ribombavam anunciavam o espectáculo pirotécnico.
O ar encheu-se de luz e cor, formando efeitos variados e esteticamente agradável.
Foram bastantes os minutos em que todos de “nariz no ar” e exclamando interjeições de espanto e maravilha: “Oh!!!,… Ah!!!,… Eh!!! ….Lindo!!!,… Espectacular!!!….”
 
 
 
Este ano, os mordomos não olharam a meios e deleitaram-nos com um espectáculo pirotécnico de grande quantidade e qualidade.
Um ribombar, quase ensurdecedor, anunciava o seu término. “Oh!!!! …. Que pena!!!!....”
 
O conjunto voltou a tocar até fazer um novo intervalo para:
- A entrega dos prémios aos participantes e vencedores nos diversos Jogos Tradicionais, que se realizaram no dia anterior, à tarde:
 
Jogo da Matrona – Todos os participantes foram considerados Vencedores:
Amelie; José;  Constança;  Carolina;  Alexandre;  Adrian;  Jeremy;  Liliana;  Frederico;  Laura;  Dinis;  Xavier  e  Catarina.
 
Corrida de Sacos :
            Pequenos: 1º lugar – Xavier e Carolina
            Mulheres: 1.º lugar – Mabilda Lopes
                               2.º lugar – Gena
                               3.º lugar – Mabilda Paiva
            Homens: 1.º lugar – Augusto
 
Lápis na garrafa:
Pequenos: Todos os participantes foram considerados Vencedores:
                               Carolina, André, Luciana, Alexandre
            Mulheres: 1.º lugar – Luciana
                               2.º lugar – Eduarda
                               3.º lugar – Mabilda
            Homens: Extra Concurso
                               1.ª Vez:
                               1.º lugar – Romeu
                               2.º lugar – Rui
                               3.º lugar – Márcio
                               2.ª Vez:
                               1.º lugar – Márcio
                               2.º lugar – Rui
                               3.º lugar – Rogério
 
 
Jogo da Corda:
Dado o empenho detodos os participantes, as equipas foram consideradas Vencedoras
 
Lançamento do Martelo:
            1.º lugar   – José Júlio
            1.º lugar    – Felisberto
            3.º lugar    – Paulo Magalhães
 
Jogo da Malha:
            1.º lugar – Orlando / Marcelo
            2.º lugar    – Rogério /Zeca
            3.º lugar – Avelino /Silvestre
                               Orlando / Marcelo
 
 
 
Esta entrega de prémios foi realizada de forma informal, alegre e descontraída, tendo como tarefa dessa entrega a impulsionadora/organizadora destes Jogos Tradicionais (com a colaboração do seu marido Augusto Silva) - a Edite Rodrigues Silva.
 
O conjunto continuou, pela noite dentro, embora as pessoas fossem, aos poucos abandonando o recinto, já que o dia seguinte (2.ª feira) para muitos era início de férias para outros seria dia de trabalho.
 
Assim terminou o 3.º dia das Festas em honra do padroeiro de Águas Frias, recheado de actividades diversas, desde de cariz religioso, até de carácter puramente profano.
 
Mas ainda restava um dia de Festas ….

.

.

 

sinto-me:

publicado por ÁguasFrias às 18:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
 O que é? |
Quarta-feira, 9 de Setembro de 2009

3.º Dia das Festas em honra de S. Pedro (tarde) – Águas Frias (Chaves) – Actuação da Banda Filarmónica de Outeiro Seco

 

 

 

ÁGUAS FRIAS

 

 

 

3.º dia das Festas em honra de S. Pedro

 

Tarde

 

Actuação da banda Filarmónica da Casa da Cultura 

de Outeiro Seco 

 

 

 

 

Depois de um bom repasto, ao almoço, Águas Frias, reatou as Festas, neste 3.º dia (02 de Agosto de 2009).

 

 
Ainda alguns estavam a refazer-se do cabrito, leitão … quando se começam a ouvir a harmonia dos instrumentos da Banda Filarmónica da Casa da Cultura de Outeiro Seco, que, perfilados e com o maestro à frente, percorria a Rua Central, desde a Igreja até ao largo da Casa do Povo/Junta de Freguesia.
Aí já estavam estrategicamente, colocadas cadeiras para cada elemento da Banda. Os Metais (a grande parte dos instrumentos utilizados, como os clarinetes, oboés, saxofones, flautas, trompetes, trompas, bombardinos, tubas, …) nas linhas da frente e na parte traseira os instrumentistas de Percussão (a caixa, o bombo, os pratos, os timbales, …).
Foi agradável ver uma banda composta por uma heterogenedade de idades, desde os mais experientes até aos jovens e alguns, mesmo muito jovens.
Embora pouco conhecedor, pareceu-me muito agradável ao ouvido e afinado. Tinham um reportório variado, tendo muitas (granade parte) das composições, feito um autêntico bailarico, lembrando os velhos tempos em que não existia música electrónica. E não pensem que só dançavam os mais velhos. Não, todos, novos, jovens e menos jovens aproveitaram para dar o seu pezinho de dança.
Outros, mais encostados, e aproveitando as sombras, apreciavam a harmonia dos diversos instrumentos, deleitavam-se calmamente, com o ouvido à escuta, deixando-se inebriar pelo conjunto de sons que produziam a música.
Afinal, a música é uma forma de comunicação universal.
Outra surpresa foi a forma como a banda interpretou algumas composições, com uma alegria estonteante, chegando a levantarem-se e erguerem, nos momentos certos, os instrumentos, desde os mais leves até aos pesados bombo e tubas.
Este tipo de interpretação, transmitiu alegria à assistência, levando-a mesmo ao rubro.
 
Nota: Antes e enquanto estiver a ver o Vídeo deve, ir ao fundo da página e carrregar no stop da música de fundo do blog (para assim poder ouvir somente o som original do vídeo. A seguir carregue no ícone deste vídeo. No fim pode de novo ir ao fundo da pagina caregar em play e voltar a ouvir o som de fundo.
 
Águas Frias sentia-se alegre, satisfeita, convivia, ... festejava, ... transformava-se.
O som da Banda Filarmónica deu um ar de Festa de tempos idos, mas sempre actual.
Bastou observar o número de pessoas que juntou a ouvi-los ou a dançar ao seu ritmo.
Foi bom de ver e de ouvir (já que dançar não é comigo – como costumo dizer ”tenho os dois pés esquerdos”).
Foi uma tarde agradável e mais um objectivo plenamente alcançado pelos Mordomos(as), que tinham vencido com êxito mais uma etapa das Festas em honra de S. Pedro de Águas Frias.
Ia entardecendo quando a banda finalizou a sua actuação.
Mas havia que mostrar diversidade às festas e depois das tradicionais Bandas Filarmónicas, haveria de dar lugar a outro tipo de interpretação musical com instrumentos diferentes e com o uso das novas tecnologias …..
 
  

 

sinto-me:

publicado por ÁguasFrias às 23:54
link do post | comentar | favorito
 O que é? |
Domingo, 6 de Setembro de 2009

3.º Dia das Festas em honra de S. Pedro (manhã) – Águas Frias (Chaves) – A Procissão

 

 

Como deixei antever no post anterior, depois da Missa Solene em honra de S. Pedro de Águas Frias, iniciou-se a organização da procissão.
 
Procissão
 
Tocam os sinos da torre da igreja,
Há rosmaninho e alecrim pelo chão.
Na nossa aldeia que Deus a proteja!
Vai passando a procissão.
 
Mesmo na frente, marchando a compasso,
De fardas novas, vem o solidó.
Quando o regente lhe acena com o braço,
Logo o trombone faz popó, popó.
 
Olha os bombeiros, tão bem alinhados!
Que se houver fogo vai tudo num fole.
Trazem ao ombro brilhantes machados,
E os capacetes rebrilham ao sol.
 
Tocam os sinos na torre da igreja,
Há rosmaninho e alecrim pelo chão.
Na nossa aldeia que Deus a proteja!
Vai passando a procissão.
 
Olha os irmãos da nossa confraria!
Muito solenes nas opas vermelhas!
Ninguém supôs que nesta aldeia havia
Tantos bigodes e tais sobrancelhas!
 
Ai, que bonitos que vão os anjinhos!
Com que cuidado os vestiram em casa!
Um deles leva a coroa de espinhos.
E o mais pequeno perdeu uma asa!
 
Tocam os sinos na torre da igreja,
Há rosmaninho e alecrim pelo chão.
Na nossa aldeia que Deus a proteja!
Vai passando a procissão.
 
Pelas janelas, as mães e as filhas,
As colchas ricas, formando troféu.
E os lindos rostos, por trás das mantilhas,
Parecem anjos que vieram do Céu!
 
Com o calor, o Prior aflito.
E o povo ajoelha ao passar o andor.
Não há na aldeia nada mais bonito
Que estes passeios de Nosso Senhor!
 
Tocam os sinos na torre da igreja,
Há rosmaninho e alecrim pelo chão.
Na nossa aldeia que Deus a proteja!
Já passou a procissão.
Texto de: António Lopes Ribeiro e celebrizada pela excepcional interpretação de João Villaret
 
 
A procissão inicia-se com o empunhar da cruz alta mostrando bem alto o símbolo da religiosidade da maioria, senão de toda a população aquafrigidense na religião católica), ladeada por dois lampiões.
 
Seguem-se os estandartes de S. Pedro de Águas Frias (de 2006) e do Apostolado da Oração com a imagem do Sagrado Coração de Jesus (de 1989).
 
Seguem-se os andores magistralmente decorados de flores em forma de altar encimando as imagens dos santos mais venerados em Águas Frias. Cada andor foi transportado aos ombros pelas Gentes da aldeia (residentes e por aqueles que nesta época voltam, muitas vezes programando as suas férias para estar presente nestas cerimónias).
 
Os andores que faziam parte da procissão foram respectivamente os seguintes:
- Santa Bárbara (tantas vexes evocada em dias de trovoada);
- Santo António;
- Santa Rita ( é invocada em especial para causas impossíveis);
- Nossa Senhora dos Prazeres (imagem que faz parte da capela particular, com o mesmo nome, em Cimo de Vila, e como se encontra em estado de degradação a imagem está à guarda pela Alda) – finalmente foi exposta a todos (eu, por exemplo, nunca tinha tido o prazer de admirar a referida imagem);
- Nossa Senhora da Saúde;
- Nossa Senhora de Fátima;
- Santa Teresinha;
- e finalmente a imagem do padroeiro – S. Pedro.
 
Atrás dos andores iam as acólitas vestidas de branco e o pároco da freguesia, o Sr. Padre Helder.
 
Seguiu-se a Banda de Outeiro Seco que enchia o ar com os seus acordes próprios desta cerimónia religiosa e que davam o ritmo ao andamento de toda a procissão.
 
A população não deixou de participar, pois no fim acompanhou do princípio ao fim todo o percurso da procissão. Foi uma grande mole humana que assim mostrava a sua religiosidade ou a vontade de preservar esta manifestação católica.

 
 
A procissão saiu da Igreja efoi percorrendo a Rua Central, Rua Adamastor Chaves Morais, Rua 1.º de Maio, voltando ao adro, dando uma volta completa à igreja.
 
 
……
 
As pessoas ainda foram ficando, aproveitando mais este momento para conviver.
 
 
Mas havia, que logo após a procissão voltasse em passos largos em direcção a casa, pois como dia de Festa, o almoço era melhorado, e já desde manhã cedo se tinha aceso o forno para assar o manjar do almoço, o arroz no forno, o cabrito, o leitão ou até aves (galinha, pato ou peru), que iriam ser degustadas, no seio da família.
 
 
Forno assando as iguarias para o almoço de Festa...
 
 
 
Iguarias assadas no forno de lenha para o almoço das Festas en honra de S. Pedro 2009 Algumas cozinheiras de Águas Frias (Irmã Conceição e a sua irmã Dª. Maria Alice
 
 
   

 Hummmm!    Parece delicioso! 

E conseguem sentir o cheiro ...

 Algumas cozinheiras de Águas Frias (Dª. Dete, Dª. Maria Amélia e Dª. Fernanda)
 
 
 

Mais outro exemplo das iguarias preparadas para o dia de Festa.

O aspecto é óptimo, o cheiro era convidativo, quanto ao sabor, ... que o digam quem o saboreou.

 
  
 
Este é mais um momento da Festa. E que momento …..
 
 
……
 
O 3.º dia das Frestas ainda ia a meio e os mordomos tinham animação para a tarde e arraial à noite.
 

.....................

 

sinto-me:

publicado por ÁguasFrias às 14:45
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
 O que é? |
Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009

3.º Dia das Festas em honra de S. Pedro (manhã) – Águas Frias (Chaves) – antes, durante e depois da Missa Solene

.
.
Águas Frias (Chaves)
3.º Dia de Festas em honra de S.Pedro
 
02 /08 /2009
 
Antes, durante e depois da Missa Solene ...
 
.
.
 
Amanhecia em Águas Frias …
 
O Sol já se tinha levantado cedo …
 
 
E …. Pum!!!! Pumm!!!  Pummm!!!  Pum!!! Trummmmmm!!!
 
 
Uma salva de morteiros estala no ar anunciando, à Aldeia e a todas as Aldeias vizinhas, o início do 3.º dia das Festas em honra de S. Pedro (02 de Agosto de 2009).
 
 
A população acorda cedo e já se sente alguma alzafama.
 
É dia de festa e para que não houvesse dúvidas e dando uma sonoridade diferente à quietude da Aldeia, ouvem-se os primeiros acordes da Banda Filarmónica, que vinda de Outeiro Seco, entoa marchas e músicas festivas, percorrendo a aldeia desde a sua entrada até ex-Largo da Igreja (hoje denominado de Largo António Magalhães).
 
Aí perfilados executaram algumas peças musicais, enquanto vinham chegando todos os que desejavam assistir à missa solene do seu padroeiro.
 
 
Mantendo-se a tradição, o adro da Igreja matriz estava estrategicamente e estecticamente decorado, com os vasos que tinham sido “roubados” durante a noite.
 
Por muito bem acautelados, não foi motivo para serem desviados das varandas escadas, pátios, ... para o adro da Igreja (mais uma vez se cumpriu uma ancestral tradição).
nem a cruz alta que se encontra no centro do adro deixou de ser decorada com vasos de flores e até com um vira-vento, sabe-se lá de onde terá vindo.
 
Também no adro da Igreja já estavam expostos os andores que seguiriam depois da missa em procissão. Todos diferentes,… mas seria difícil dizer qual o mais bonito, pois a decoração, com flores naturais, tornavam-nos a todos belíssimos.
 
 
 
Os andores estavam perfilados à entrada da Igreja estando à direita os andores de: Santa Rita; Nossa Senhora dos Prazeres; Nossa Senhora da Saúde e Nossa Senhora de Fátima.
 
Do lado oposto estavam os andores de: Santo António; Santa Bárbara; Santa Terezinha e S. Pedro.
 
 
Toca o sino na torre da Igreja chamando para a celebração solene em honra de S. Pedro, padroeiro da paróquia de Águas Frias.
 
A população, atendeu ao chamamento e encheu por completo toda a grande Igreja matriz de Águas frias.
 
Foi uma missa participada e sentida, celebrada pelo senhor pároco da freguesia, sr. Padre Helder, partilhada pelos acólitos, salmita, leitores e solenizada com cânticos acompanhados por alguns instrumentistas da banda de Outeiro Seco.
 
 
Nota: Antes e enquanto estiver a ver o Vídeo deve, ir ao fundo da página e carrregar no stop da música de fundo do blog (para assim poder ouvir somente o som original do vídeo. A seguir carregue no ícone deste vídeo. No fim pode de novo ir ao fundo da pagina caregar em play e voltar a ouvir o som de fundo.
 

 
 
 
No fim ainda há tempo para mais uns cumprimentos e beijos (cuidado com o vírus H1N1), enquanto se organizava a procissão.
 
 
Havia solenidade e alegria no ar ….
 
 
“Tocam os sinos da torre da igreja,
Há rosmaninho e alecrim pelo chão.
Na nossa aldeia que Deus a proteja!
Vai passando a procissão.
….”

 

sinto-me:
música: Avé Maria - Schubert

publicado por ÁguasFrias às 23:22
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

mais sobre mim

Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28
29

30


LUMBUDUS

blog-logo

Visitantes de Águas Frias

O Tempo em Águas Frias

Visitas por países


contador de visitas

Águas Frias pelo Mundo

Locations of Site Visitors

Por onde anda Águas Frias

tags

todas as tags

arquivos

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

pesquisar

 

links

XIII Encontro Blogosfoera Flaviense e Fotógrafos 2010 - Castelo de Monforte do Rio Livre


XIII Encontro de Blogues - Águas Frias - free slideshow maker
blogs SAPO

subscrever feeds