Pequenas Gotas de Águas Frias


Águas Frias - making a free slideshow
Quarta-feira, 18 de Junho de 2008

Águas Frias (Chaves) - Percorrendo a Freguesia (V) - Pedra Bolideira

 .

 

“… Continuei …. pelo estradão de terra batida …

Atingi os limites da freguesia de Águas Frias, mas continuei …

 .

 .

 .

.

Embora o título deste “post” seja “Percorrendo a Freguesia” de Águas Frias, o caminho que escolhi leva-me para terrenos pertencentes à freguesia vizinha de Bobadela. A razão que me levou a alterar o principal objectivo é simples - visitar um local peculiar – A Pedra Bolideira.

 .

 .

 .

Assim, …continuando, e chegados ao fim do estradão, encontramos a estrada nacional 103, que atravessei.

 .

 .

 

 .

Percorrendo alguns metros, à direita, encontramos um enorme bloco de granito com mais de 3 m de altura e cerca de 10 m de comprimento e largura, com um peso de várias toneladas.

 .

 

 .

.

Mas o que torna este megalítico tão conhecido, tão peculiar e merecedor de ser considerado monumento nacional?

É que, apesar de todo esse tamanho e peso, qualquer pessoa, com um simples impulso, no local adequado, faz balançar este gigantesco penedo.

 .

 .

 .

Ou seja, qualquer um pode fazer a fraga “bolir” (mexer), daí o nome – Pedra Bolideira.

 .

 

 .

.

Claro que nada de paranormal se passa, mas somente, que a base de uma parte da rocha assenta sobre uma aresta de outra rocha (em aproximadamente meio metro).

 .

 

 

.

 

 

Conta a lenda que o fenómeno foi descoberto quando, num certo dia, um pastor que apascentava os seus animais, reparou que um dos seus carneiros, ao coçar os chifres na pedra, a fazia mexer (bolir). Para confirmar o que os seus olhos viam, o pastor resolveu colocar uma pequena vara de giesta entre a fraga movediça e uma outra que estava fixa na base. Confirmou então que essa vara arqueava quando empurrava a fraga.

 .

 .

 

 .

Se assim se passou ou não, desconheço, mas uma coisa é certa, de todas as vezes que fui ao local, sempre encontrei uma vara entre as rochas para que quem quer que a visite possa confirmar que, de facto a Pedra Bole (mexe).

Duvida? Tal como S. Tomé, venha ver (experimentar) para crer.

 .

 .

Depois de experimentar, mais uma vez este fenómeno de equilíbrio, regressei até ao cruzamento.

 .

 .

.

 .

 

Aí, virei à esquerda e pela estrada 103 (em direcção a Chaves) deixando a pequena aldeia de Bolideira (freguesia de Bobadela) e dirigindo-me novamente para terras da freguesia de Águas Frias.

 .

Depois de passar pelo posto de abastecimento do  líquido cada vez mais precioso, já que a cada dia se torna mais caro (gasolina/gasóleo) mas onde, no seu bar, se podem degustar uns bons petiscos, parei numa área de descanso.

O local teria todas as condições para ser de excepcional eleição, já que tem uma paisagem soberba, tem mesas e bancos de granito onde se poderá apreciar um farto farnel, mas ... e há sempre um mas.... encontrei algum lixo que "alguém" na sua passagem não teve o respeito de deixar para os outros o local que gostaria de encontrar para si mesmo.

 .

 .

.

Outro pormenor neste local é a "escultura" em pedra que se encontra no local e que foi executada por um "artista" cantoneiro aquafrigidense que com carinho, mestria, sentido estético e sentido prático, já que tinha a funcionalidade de servir de fonte de água fresca a todos os que nos dias de estio aqui paravam sequiosos. Não posso deixar de referir o autor desta "escultura - fonte" - o saudoso José Joaquim Rodrigues e por todos, carinhosamente conhecido por Zé "Herói".

 .

Mas, ... e mais uma vez, há sempre um mas ...

A "fonte" não verte uma única gota de água. É pena. Mas penso que não seria difícil reverter a situação e dar novamente funcionalidade à ideia original. Todos os que por lá pararem, certamente irão agradecer.

 .

.

 .

Continuei ....

 .

.

.

.

A próxima paragem será ….

… outra aldeia da freguesia de Águas Frias.

.

.

.

 

 


publicado por ÁguasFrias às 01:14
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
 O que é? |
Terça-feira, 10 de Junho de 2008

Águas Frias (Chaves) - Percorrendo a Freguesia (IV) - Castelo de Monforte do Rio Livre

.

Continuando a percorrer a extensa freguesia de Águas Frias e depois da visita à Aldeia de Avelelas, “…cheguei ao cruzamento, encontrei uma pequena placa que apontava “Castelo”. Foi para lá que me dirigi e, ….” enveredei pelo caminho de terra batida. A viagem terá que ser feita com alguma moderação, pois com as chuvas dos últimos invernos, foram aparecendo sulcos na terra que obrigam a alguma atenção ao caminho. Mas vale a pena o percurso pois a paisagem é soberba e diferente em cada época do ano.

 

 

 .

 .

 

Parando de quando em quando, para admirar o que a vista consegue alcançar, lá fui seguindo por entre giestas (brancas ou amarelas), urzes, carvalhos ou terrenos cultivados de centeio.

 .

 

 

 .

 .

E, eis que surge, imponente o Castelo de Monforte do Rio Livre.

 .

 

 .

A sua visita é obrigatória.

 .

 

 

 .

Pena é que o visitante esteja por sua conta e risco, não havendo, no local, informação sobre este monumento nacional. Assim aqui vos deixo um extracto do livro “Ares de Trás-os-Montes” – Sant’Anna Dionísio (Capítulo XLI) – 1977 – Lello & Irmão – Editores – Porto:

 

“ … A porta de acesso da antiga alcáçova está ao cimo do montículo. Dentro, abre-se um amplo salão vazio e sem tecto, cingido por paredões altos de boa cantaria apare­lhada, de granito.

 .

 

 .

.

No sentido do comprimento, mede cerca de 16 braças; no da largura, dez ou doze. Era segu­ramente a «sala grande» da antiga moradia do alcaide. Na planta do álbum de Duarte de Armas lá está o espaçoso recinto bem demarcado ao lado da torre de menagem.

 .

 

 .

.

O que noutros tempos teria sido a mansão nobre da guarnição guerreira é hoje um melancólico e vasto recinto vazio, (...), tendo por cobertura um largo rectângulo do céu.

Ao fundo, no ângulo N.E. do salão vazio, ergue-se ainda uma estreita e alta escadaria, maciça, de pedra, que daria acesso ao caminho de ronda.

 .

 .

.

Outra porta, larga, de arcatura levemente ogival, dá-nos passagem para a antiga praça de armas. É daí que se colhe a melhor visão do imponente vulto da velha torre de menagem. Com um pouco de boa vontade sempre se alcança o cimo da muralha que nos permitirá ver bem, ao mesmo tempo, a bela torre e o perímetro da desaparecida vila.

 

 

 .

.

Do alto do arruinado muro (que dominava, como uma varanda, a primitiva vila) abrange-se, com relativa precisão, a couraça que, de um lado, desce pela encosta relativamente declivosa e, do lado de Nascente, depois de acusar a antiga porta, voltada ao Norte, que serviria a população da vila para descer ao rústico arrabalde de Águas Frias, sobe num esforçado ímpeto pedregoso para o flanco do castelo sobranceiro.

 .

 

 

 .

 .

(...) a povoação foi resistindo ao longo dos séculos, recebendo «foral novo» no tempo do Venturoso, passando para a Casa do Infantado nos fins do séc. XVII …..”

 .

 ...........

 .

 .

Das suas muralhas deixemos a visão espraiar-se pelo horizonte e deixarmo-nos envolver pela sua magnitude, pelo silêncio e quietude só interrompida pelo som da brisa do vento e pelo chilrear das aves que nos sobrevoam.

 .

 

 .

.

Ainda citando Sant’Anna Dionísioin “Ares de Trás-os-Montes” :

“A visão panorâmica que o sítio oferece é tão ampla como bela.

.

 

 

 

 .

 .

Para as bandas da raia, descobre-se a portela de Mairos, reconhecendo-se ao fundo, em terras de Espa­nha, a formosa cidadela de Monterrey.

 .

 

 .

.

Voltando-nos para os lados do Poente, descobrem-se, entre a serra de Leiranco e a linha da fronteira, várias aldeias (Soutelo, Bustelo, Ervedelo, Vilarelho da Raia), que são, como tantas outras, humildes expressões de um tácitoe inamovível querer que, por pudor, não se exprime.”

 .

 

 .

 .

Deixando este idílico local continuei a percorrer Terras da freguesia, mas em lugar de descer a encosta, em direcção à Aldeia de Águas Frias, voltei pelo mesmo estradão e no cruzamento virei à esquerda.

A paisagem continua a encantar.

Parei. Aproveitei para observar os trabalhos de reflorestação nos terrenos baldios da freguesia e na abertura de “corta-fogos”.

 .

 .

 .

É de louvar esta iniciativa já que repõe e até melhora, o que o último incêndio destruiu e cria condições de acessibilidade, para que, em caso de necessidade, possa o combate ser mais rápido e eficaz.

Mais uma vez, o Castelo de Monforte do Rio Livre, domina o espaço de visão.

 .

 

 

 .

 .

 .

Continuei …. pelo estradão de terra batida …

Atingi os limites da freguesia de Águas Frias, mas continuei …

 .

 .

 

.

.

.

 

10 de JUNHO

Hoje comemora-se o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas e por isso aproveito para enviar as maiores saudações a Todos os Aquafrigidenses espalhados pelo Mundo.

 

 

.

.

.

sinto-me:

publicado por ÁguasFrias às 17:40
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
 O que é? |

mais sobre mim

Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


LUMBUDUS

blog-logo

Visitantes de Águas Frias

O Tempo em Águas Frias

Visitas por países


contador de visitas

Águas Frias pelo Mundo

Locations of Site Visitors

Por onde anda Águas Frias

tags

todas as tags

arquivos

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

pesquisar

 

links

XIII Encontro Blogosfoera Flaviense e Fotógrafos 2010 - Castelo de Monforte do Rio Livre


XIII Encontro de Blogues - Águas Frias - free slideshow maker
blogs SAPO

subscrever feeds